Artigos

Criança Google


Cada dia que passa o homem busca mais novidades tecnológicas para incrementar sua vida. Necessidade ou status social? Hoje, os valores morais perderam-se pelo caminho, foram trocados pelos os valores tecnológicos. Um homem não é mais avaliado por suas ações, mas pelo celular que tira do bolso. São esses os valores tão importantes de uma sociedade moderna? A maioria das pessoas não sabe utilizar metade dos recursos e aplicativos de seus celulares, mas isso não inibe ninguém de ter o top. Essa troca de valores também atinge nossas crianças, que preguiçosas preferem ficar horas em frente à TV jogando vídeo game, ou estirada no sofá jogando em celulares ou ainda solitária em seu quarto em frente ao computador. Os adultos começaram isso! Somos os exemplos de nossos filhos, esse é o nosso legado. Isso é o que estamos deixando para eles.

É importante aprender a lidar com a tecnologia? Sim, é muito importante, porém não é tudo, uma vez que somos dotados da melhor máquina já inventada: O cérebro. Isso mesmo, temos muito giga de memória, e precisamos aprender a utilizá-los. Como pedagoga atento-me a utilização do cérebro como um buscador, denominando o indivíduo como “criança Google”, por que esse nome? Porque o Google é um exemplo de como uma informação puxa outra. A “criança Google” não é aquela que passa horas em frente à TV ou no celular jogando vídeo game. A “criança Google” é aquele que faz associações com as informações recebidas, é um buscador. Buscador porque a partir da informação passada, seu cérebro automaticamente busca as informações sobre aquele determinado assunto, ou ainda, traz algo que tem ligação com o que está sendo trabalhado.

Estamos cientes que em um futuro não tão distante, teremos problemas com falta de água, energia, alimentos, etc... E eu pergunto: - Para que vai servir seu celular ou computador top?

Precisamos ensinar nossas crianças desde cedo a lidar com a principal máquina que conhecemos, precisamos ensiná-la a utilizar o cérebro. Quanto antes tornarmos essa criança um buscador, melhor será seu desempenho nos estudos e na vida. Ninguém está falando de esquecer o que alcançamos tecnologicamente, podemos e devemos aprender a utilizar tudo a nosso favor, pois essa tecnologia serve como alimento para nossas buscas, mas não podemos mais deixar que ela domine e atrofie o cérebro de nossos filhos. Um cérebro acomodado só tem uma função: Fazer eco.

Texto: Solange Depera Gelles

Voltar para artigos