Artigos

As cores e personagens da história


As cores sempre estiveram presentes em grandes realizações na história da humanidade. Para entendermos melhor sobre cores é preciso conhecer um pouco de cromoterapia. O que é cromoterapia? É a ciência que utiliza as cores do espectro solar para restaurar o equilíbrio físico-energético em determinadas áreas do corpo, atingida por alguma disfunção. Os chineses utilizavam para realizar cura em enfermidades e distúrbios causados por desequilíbrio emocional. De origem milenar a cromoterapia foi descoberta pelos orientais que acreditavam na vibração das cores e na sintonia do homem com a natureza. O assunto é um tanto delicado, de forma alguma queremos exaltar o esoterismo. O que procuramos mostrar é a interação entre as cores e o homem e os benefícios proporcionados por elas.

Ao longo de nossa história existem relatos de grandes personalidades envolvidas com as cores. Para Aristóteles as cores eram raios enviados por Deus, e seriam os elementos terra, ar, fogo e água. A luz do sol ao atravessar ou refletir em determinado objeto escurecia, de modo que a cor era a transição do claro para o escuro. Essa maneira de explicar as cores permaneceu até a época de Isaac Newton, que mudou essa visão de Aristóteles executando experiências com o prisma. A experiência consistia em utilizar um prisma próximo a janela, o qual projetava um espectro solar que reproduzia na parede as cores laranja, amarelo, vermelho, violeta, verde, azul e anil. Newton organizou as cores em um círculo, o círculo possuía sete cores.

Para Goethe era importante o entendimento de fenômenos cromáticos, mas as cores deviam ser interpretadas com paixão e ação da luz. Na sua visão a cor não é apenas luz, mas impulsividade, paixão pela criação da natureza. Entre tantos filósofos e cientistas que buscavam desvendar as cores, encontramos Descartes e Shakespeare que percebiam a influência das cores na essência humana e acreditavam nos benefícios favoráveis resultantes de seu uso.

Nesta visão histórica, passamos a entender que as cores tem linguagem própria. O homem ao entender o seu envolvimento com o meio começa a interagir utilizando os sentidos (audição, visão, tato, paladar e olfato), a mente trabalha em conjunto com as cores. O cérebro capta a cor e estimula o organismo, influenciando assim na vida material e emocional do indivíduo.

Texto: Solange Depera Gelles

Voltar para artigos