Artigos
 

TDAH e as cores

Muitos professores convivem diariamente com alunos com TDAH, mas nem todos sabem como lidar com o transtorno. Muitas vezes pode ocorrer diagnóstico errado, pois o mundo está muito rápido, as informações são mutáveis e o tempo tornou-se o inimigo do ensino. Digo isso por conta de que o mundo aqui fora está muito mais interessante que a escola, a escola traz a mesmice que leva ao desinteresse e esse desinteresse pode ser confundido com o transtorno, portanto a opinião de um profissional qualificado é muito importante.

Ter TDAH não justifica mau comportamento, desleixo com materiais e com os deveres. Mas exige uma atenção redobrada do professor sobre o aluno, pois é preciso ensiná-lo a aprender, e apreender o que é realmente importante, respeitando o limite de cada um. Ninguém gosta de ser corrigido, mas o aluno TDAH tem uma maior dificuldade em relação a isso. Para ele a correção é o fracasso. Para lidar melhor com essas dificuldades podemos utilizar as cores como estimulante. Eu trabalho em particular com a cor laranja em casos de TDAH, pois o laranja estimula a força de vontade e o oportunismo. A cor laranja tem em si uma alegria e um calor humano que faz com que o aluno seja mais fácil de lidar, torna-o receptivo ao contato e as palavras do professor, a correção torna-se um ensinamento e não um fracasso. Essa cor poderá ser utilizada na vestimenta, acessórios, alimentos, material escolar e até mesmo no ambiente no qual esse aluno realiza suas tarefas, tanto na escola como em sua casa. Um melhor desempenho vai depender da dedicação escola+família. A cor laranja vai reestruturar de maneira positiva e as pessoas envolvidas irão perceber a diferença.

Acredite no estímulo das cores, mas lembre-se nada de excessos, pois o laranja utilizado com exagero torna a pessoa materialista e centrada em si mesma.

 

Texto: Solange Depera Gelles



Voltar para artigos